Retrato de mãe” e Vibração de amor

Bernardo Santos

 

     “Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que somos e tudo o que temos daríamos para vê-la de novo, e dela receber um aperto de seus braços, uma palavra de seus lábios. Não exijam de mim que diga o nome dessa mulher, se não quiserem que ensope de lágrimas este álbum porque eu a vi passar no meu caminho. Quando crescerem seus filhos leiam para eles esta página: eles  cobrirão-lhes de beijos a fronte e dirão que um pobre viandante, em troca da suntuosa hospedagem recebida, aqui deixou para todos o retrato de sua própria Mãe...”

     Dom Ramon Angel Jará, Bispo de La Serena, Chile, antes de partir deixou escrito em um álbum o texto acima, por ocasião de sua hospedagem em uma casa de família, que foi traduzido brilhantemente por Guilherme de Almeida. Lendo-o, não pude conter-me sem deixar de manifestar neste mês de Maio, a minha homenagem e enviar minhas palavras de amor e agradecimento pelo seu dia e por tudo que fizeste por mim aos longos dos anos e que continua a fazer. Obrigado Mãe, pelo carinho, amor e desvelo que me consagraste. Hoje compreendo quanto é grande e cheio de sacrifícios o teu amor por mim.

     Sei que estou em outro mundo, em outra vida, mas não muito distante. Muita gente pensa que a pessoa sai da terra e esquece tudo, mas não é assim; cada pensamento dizendo o quanto te compreendo e te quero, cada olhar estarei sempre presente, envolvido por teu amor. Obrigado por tudo Mãe.

     Que esta vibração de amor que lhe escrevo agora não se dilua no espaço e fique contida em ti para que a cada instante sintas no pulsar do meu coração, a imensidão do meu amor por ti.

     Peço a Deus que te conserve sempre a mãe fiel e dedicada, envolvendo-me sempre também com suas vibrações de amor e de luz, orientando-me seguir a cada dia o caminho do bem.

     Mãe, obrigado por você existir e pela minha existência. Desejo-lhe um feliz dia das mães. Não só neste dia, mas em todos os dias de sua vida, e que o pai celestial lhe conserve por muito tempo aqui junto de mim na Terra.

     Obrigado Mãe!

 
 
 

© 2010/17 - Bernardo Santos - Todos os direitos reservados

Lay-out e Hospedagem: Uol Host

Imagens de Abertura das Páginas: Licença Royalt-Free

Fotos: Arquivo Pessoal e Divulgação



  Site Map