Sem vontade

 

Letra tremula

que dança com a caneta.

Palavras machucadas de brincar,

incógnitas

riscos impertinentes

misto de encantamento

mistura doce e amarga.

E começo pelo final;

ao terminar,

percebo que estou no principio:

Medo de escrever uma poesia.

 
 
 

© 2010/17 - Bernardo Santos - Todos os direitos reservados

Lay-out e Hospedagem: Uol Host

Imagens de Abertura das Páginas: Licença Royalt-Free

Fotos: Arquivo Pessoal e Divulgação



  Site Map