Encontro

Bernardo Santos

 

Quão difícil é

o encontro de um amor;

amor verdadeiro adulto

e ao mesmo tempo criança.

Que embale o sono,

Viva, cante,

no palco da liberdade.

Que não tenha preconceitos,

não magoe e nem destrate,

perdoe e não mate.

Seja presente dia a dia,

que acredite na esperança

e aceite pequenos defeitos,

mas, sobretudo que ame.

 


Em busca da primavera 

Bernardo Santos

 

As rosas se abrem

em meio às margaridas

e o lírio se perde pelo campo.

São milhares de violetas

que enfeitam espaços floridos

e ipês que se espalham pela mata.

No ar

presença do perfume

que vem do jasmim.

O cravo brota no vaso

com elegância e fineza

diante de uma orquídea

com vestes de princesa.

Flores tão lindas

em busca da primavera.

Não saberia qual colher;

melhor fazer um buquê com todas!

 


Era geográfica

Bernardo Santos

 

A poeira cósmica

entrou nos olhos do mundo

para cegá-los diante da vida.

Meteoros chocam-se com a Terra

que balança e contrai-se

em intensas reviravoltas.

Os trópicos perdem-se,

não se subdividem mais;

desaparecem do mapa.

As criaturas se afundam

em eternas lamas

e mais uma época

marca a história.

 


Escuridão 

Bernardo Santos

 

Rugas do passado,

marcas de rastros deixados

na terra ardente do chão;

se a vida, no entanto

é constante do fim

de um mundo que nos uniu.

Apenas lembranças, amadas

em outras terras do amor,

onde perdem no tempo a verdade;

vivendo acertando e errando

no jogo da vida.

Uma luz guia

uma alma herdeira

uma afeição verdadeira

num vago momento.

Um único pensamento

impulsionado pela força

e certeza de uma esperança melhor.

Buscar os pássaros nas nuvens,

refletir a mãe natureza,

despertar o viver num lago azul.

É um sonho puro e amestrado

que toca e sente na carne

em noites de lua cheia.

 


Em foco

Bernardo Santos

 

Receios, desejos

promessas de paraíso.

Depois sonhos, desejos, risos.

Beijos.

Dores sem remédios

prantos, tédio.

Depois nada...

O sol se congelando

a estrela perdendo o brilho,

um mistério no horizonte

a saudade constante

e um remorso na despedida.



É preciso coragem...

Bernardo Santos

 

 ... para caminhar

nas pedras

pontiagudas

de calcário

e atravessar

a nado

o oceano.

... para sorrir

de alguém

que chora

de desespero

e grita

alto

bem alto

a tristeza

que lhe dói.

... de comer

um pão

que está na mesa

sabendo

que crianças

morrem de fome

e almeja certa migalha.

É preciso,

mas o homem tem coragem;

de caminhar na pedra

atravessar o oceano

sorrir da tristeza

comer o pão,

mesmo sendo

o que o diabo amassou.



Ele

Bernardo Santos

 

Ele lutou

com sacrifício

e suor

para garantir

a vida maior

de sua família.

Ele chorou

com lágrimas

de amor

e carinho

quando amarraram

num Jipe

sua esposa com uma corda.

Ele se entristeceu

ao doar seus filhos

e naquela casa de barro,

pedia a Deus

para que tudo desse certo.

Ele venceu

e é amado

por todos nós:

Seus filhos.

Ele é nosso pai.

 
 
 

© 2010/17 - Bernardo Santos - Todos os direitos reservados

Lay-out e Hospedagem: Uol Host

Imagens de Abertura das Páginas: Licença Royalt-Free

Fotos: Arquivo Pessoal e Divulgação



  Site Map